Diferenças nas dietas dos pacientes bariátricos e metabólicos

Sabemos que existem diferenças entre a cirurgia bariátrica e metabólica, tanto em relação aos objetivos, técnicas, indicações e etc. Mas e na dieta, será que também há? Esta é uma dúvida muito comum e estamos  aqui para que você entenda melhor essas sutilezas.

Inicialmente, devemos entender que não deveriam existir dietas padronizadas, pois os corpos são diferentes, assim como as necessidades individuais de cada ser humano. Protocolos e diretrizes são utilizadas para que o profissional tenha uma direção, para que os cálculos sejam feitos em cima de fórmulas já estipuladas, porém alimentadas com informações e dados individualizados.

Informações como  peso, idade, altura, sexo, estado clinico atual, e objetivo do paciente, fazem parte de um conjunto de dados e valores  que entram nesses cálculos, então a partir deste simples ponto já conseguimos entender que as dietas são diferentes.

Cirurgia bariátrica e metabólica

Partindo da questão da diferença da cirurgia bariátrica e metabólica, precisamos  entender que os objetivos são diferentes. A primeira foca na perda de peso para pacientes obesos grau II ou III , com e/ou sem comorbidades respectivamente. Já a segunda foca no controle e/ou cura das doenças metabólicas, como por exemplo diabetes, hipertensão e dislipidemia, onde a perda de peso acaba tendo um papel secundário.

Nos dois procedimentos,  ocorrem  restrições gástricas, redução da capacidade alimentar, podendo haver ou não, exclusão parcial do duodeno. Desta forma, existem protocolos padronizados para as duas modalidades,  tanto em relação a suplementação de polivitamínico contendo, cálcio, ferro, vit D, Zn , Vit B 12, entre outros , quanto das proteínas.

Cuidados

Contudo, no caso dos pacientes submetidos a cirurgia metabólica, as doenças de base fazem com que alguns cuidados a mais sejam tomados no cálculo da dieta, principalmente em relação a quantidade, tipo e índice glicêmico dos carboidratos que serão oferecidos, assim como como as fibras, a reposição de nutrientes com ação antioxidante e por fim a indicação do uso de probióticos .

Desta forma fica claro o entendimento da necessidade de uma dieta personalizada, calculada e elaborada por um profissional de saúde, qualificado para essa função!

Juliana Ribeiro Garcia, nutricionista

Diferenças nas dietas dos pacientes bariátricos e metabólicos