A importância da proteína no pós-operatório

A cirurgia bariátrica é considerada uma das melhores estratégias para o tratamento da obesidade. Os pacientes que optarem pelo procedimento, contudo, precisam ficar atentos aos níveis de absorção de proteína no pós-operatório, pois a rápida perda ponderal que ocorre após a cirurgia vem acompanhada de uma considerável redução de massa muscular, causada por um maior catabolismo.

 

Os sinais desta carência também manifestam-se pela queda de cabelo, redução da imunidade e enfraquecimento das unhas.

 

Se esse for o caso, a preocupação não deve ser exagerada. A má absorção de proteína no pós operatório é comumente relatada por pacientes. Estima-se que apenas 57% desse macronutriente é ingerido e absorvido após o bypass. A prevalência desta deficiência pode variar de 13% em pacientes após dois anos de cirurgia a 27,9% após dez anos.

 

Leia também: Perder peso e emagrecer: qual a diferença?

 

Além das questões relacionadas ao procedimento da bariátrica, outros fatores como a mastigação inadequada, intolerâncias, textura ou consistência, questões econômicas, culturais, sociais e religiosas podem afetar a ingestão proteica, levando a um déficit nutricional.

 

Ingestão de proteína no pós-operatório

 

Essa condição pode ser facilmente contornada. A literatura sugere que para prevenir ou tratar as deficiências nutricionais decorrentes das alterações provocadas pelas técnicas cirúrgicas é necessário o uso de suplementação de vitaminas, minerais e proteínas, além de uma dieta equilibrada.

 

Mas atenção: um especialista deve ser consultado para orientar os suplementos e suas quantidades, já que muitos fatores fazem com que a necessidade proteica varie de um paciente para o outro.Entre eles, sexo, idade, prática de atividade física, condições clínicas e etc.

 

Ao seguir esse conjunto de estratégias, o paciente consegue atingir a recomendação de nutrientes preconizada para a manutenção da saúde. Além disso, as taxas de sucesso no controle e na perda de peso saudável a longo prazo aumentam.

A importância da proteína no pós-operatório