Técnicas cirúrgicas

Disabsortiva

A disabsorção é definida como a incapacidade de absorver integralmente as calorias e os nutrientes contidos nos alimentos ingeridos. As técnicas que utilizam esse princípio favorecem o emagrecimento através da disabsorção maciça promovida pelo desvio amplo do trajeto do alimento no intestino delgado. O resultado é um emagrecimento substancial – 85% do excesso de peso – e controle das doenças relacionadas à obesidade.

Os aspectos negativos são a necessidade de uma suplementação alimentar de alto custo e a ocorrência de diarreia e gases com forte odor, devido à gordura não absorvida.

 

Mista

A cirurgia mista utiliza dois componentes para seu funcionamento. A restrição é obtida através de grampeamento, que resulta na redução do estômago (daí ser chamada de gastroplastia ou gastroplastia redutora), enquanto uma moderada disabsorção é promovida pelo desvio do alimento, que, dessa maneira, não passa pela primeira porção do intestino delgado. O Bypass Gástrico com Y de Roux ou gastroplastia é comprovadamente eficaz e leva ao emagrecimento consistente – cerca de 80% do excesso de peso – e o controle de cerca de 86% das comorbidades (diabetes, hipertensão, doenças do colesterol etc.), com melhoria importante da qualidade de vida.

O aspecto negativo é a má absorção de micronutrientes (vitaminas), que obriga os pacientes a manterem reposição vitamínica e acompanhamento médico por toda a vida.

 

Restritiva

A cirurgia restritiva promove o emagrecimento por reduzir a capacidade (volume) do estômago. Assim, o paciente fica satisfeito com quantidades menores de alimento. Existem dois tipos de cirurgia que utilizam esse conceito:

Banda gástrica ajustável

É utilizada no Brasil desde o final dos anos de 1990 e hoje representa cerca de 5% dos procedimentos realizados no país. Consiste na instalação, por videolaparoscopia, de um anel de silicone que diminui a capacidade do estômago para receber alimentos e que se conecta a um botão que permite a regulagem do calibre do anel.

Essa técnica induz o emagrecimento apenas através da restrição do volume das refeições. Como não promove nenhum grau de disabsorção, oferece perda de peso menor que outras técnicas – cerca de 40% do excesso de peso. Porém, afeta positivamente as comorbidades.

Os melhores resultados são obtidos pelos pacientes que observam com rigor as orientações nutricionais e fazem acompanhamento com seu cirurgião para regulagem da banda. A ingestão de álcool e doces prejudica os resultados finais.

Gastrectomia vertical (sleeve gastrectomy)

Consiste no grampeamento e na retirada de parte do estômago, transformando-o num tubo com capacidade para cerca de 100 ml de alimento. Sem desvio alimentar, essa intervenção provoca boa perda de peso, se comparada ao bypass gástrico, e maior que a proporcionada pela banda gástrica ajustável – em torno de 65% do excesso.

A gastrectomia vertical é um procedimento relativamente novo, praticado desde o início dos anos 2000. Tem boa eficácia sobre o controle da hipertensão e de doenças dos lípides (colesterol e triglicérides).

 

Veja as técnicas endoscópicas