Ganho de peso após a cirurgia bariátrica: o que é normal e o que não é

A cirurgia bariátrica, nos casos indicados, é o modo mais eficaz para o tratamento da obesidade. O Brasil é o segundo país onde mais se realiza o procedimento no mundo (atrás apenas dos Estados Unidos), e de acordo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), 95% dos pacientes se mostraram satisfeitos com os resultados da operação, que é considerada de baixo risco.

Mas a cirurgia não pode ser encarada como “milagre” ou a única responsável pela manutenção de resultados positivos em longo prazo, já que a obesidade é uma doença crônica e deve ser controlada a vida inteira.

Se o paciente não adaptar seu estilo de vida a novos hábitos, mais saudáveis, aliados à prática de atividades físicas e a uma reeducação alimentar severa, o peso poderá voltar.

É comum haver algum ganho de peso depois da cirurgia. Estudos recentes apontam que isso acontece com pelo menos 35% dos pacientes. Nos dois primeiros anos de pós-operatório, estima-se que metade volte a engordar parcialmente. Mas é importante separar o que pode ser considerado normal – e até esperado – do que requer cuidados.

De acordo com a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso), pacientes que recuperam de 5% a 10% do excesso de peso após 24 meses de cirurgia, de forma lenta e sem repercussão clínica, normalmente não precisam de nenhum tratamento extra.

Outras situações, entretanto, devem ser avaliadas pelo cirurgião bariátrico. Fique atento se o reganho de peso:

  • Começa ainda no primeiro ano de pós-operatório.
  • Acontece rapidamente e associado a maus hábitos.
  • Traz consigo o retorno de comorbidades, que são as doenças associadas à obesidade e têm indicação para cirurgia bariátrica. Entre elas estão diabetes, hipertensão arterial e apneia do sono (veja a lista completa)

Também é preciso considerar a perda de peso decorrente da cirurgia. O sucesso terapêutico ocorre quando o paciente perde, no mínimo, 50% do excesso de peso corporal, embora a maioria perca quase todo o excesso. A redução inferior a 50% não é normal e deve ser avaliada por um especialista.

A análise dos casos em que ocorre recuperação de peso, parcial ou total, deve ser realizada em unidades especializadas. Os novos tratamentos disponíveis para essa situação apresentam bons resultados. Eles podem envolver medicação, endoscopia ou ainda nova cirurgia.

Todas as técnicas estão disponíveis para os pacientes da clínica do Dr. Maurício Emmanuel, que também oferece atendimento pré e pós-cirúrgico multiprofissional.

 

Ganho de peso após a cirurgia bariátrica: o que é normal e o que não é